Presídios produtivos.


Até parece, que a pauta da criminalidade no brasil é obra de uma mente ficcional, conspiratória e muito maquiavélica para disseminar e incutir essa tão palpável sensação de medo na sociedade. Primeiro foi as rebeliões das cabeças cortadas nos presídios, agora o esvaziamento e domínio total do crime e por parte da população saqueando o comércio. E essa onda está apenas começando, a grande sacada não é a insegurança como fato, mas como sensação – ou seja, o domínio da mental da população é o grande alvo a ser atingido, elas assimilarem este pensamento de que estão inseguras, pronto, isso já basta. O medo, hoje é uma entidade, algo tão personificado, que quase podemos tocá-lo. Porque de alguma forma ele já no tocou. 
Já não bastava ter a realidade da imensa escassez de policiais nas ruas, e o aumento da criminalidade, e agora, a novidade do governo: salários parcelados, de quem já vive no limite do indigno. É um golpe letal na auto-estima de quem sai de casa, sem saber se volta, para fazer a segurança pública arriscando a sua. E tem mais, agora, as delegacias se tornaram quintal dos presídios, fazendo com que os policiais, que deveriam estar nas ruas protegendo a sociedade, investigando os crimes, cumprindo mandato judicial, colocando os bandidos atrás das grades. Não, tudo menos isso. Quem está preso, mesmo? A polícia. Ficção ou realidade? A polícia presa, dentro das próprias delegacias, simplesmente porque não tem mais espaço nos presídios para colocar os presos capturados. O Brasil é o país da piada pronta e sem graça, onde se ri para não chorar.
Mudam-se os governos, mas o buraco só aumenta e vai nos engolindo. E a cada novo governante que entra, vem com suas novidades e receitas mágicas.
Agora, privatização é a palavra da hora. Querem privatizar tudo, o Banrisul e CEEE. Digo sim, privatizem mesmo, mas só depois que privatizarem os presídios: tornem eles produtivos, tornem uma casa de disciplina, de ordem, produção e progresso. Tornem os presídios lugares economicamente viável. Que sejam mexidas nas leis, e façam as alterações legais e necessárias, faça valer esta mão de obra poderosa e ociosa render. Ah, os defensores dos direitos humanos vão gritar, alardear e fazer barulho. Vão sim, claro que vão. Mas, e daí? Será, apenas mais um barulho de protesto em meio a tantos. Duvido, se colocar um ou dois presídios nas mãos de homens de negócio, empresários liberais de conduta ilibada e empreendedores, logo eles farão dos presídios ambientes produtivos – Coisa que os governantes não conseguem. Que os estão presos paguem pelos seus crimes e se paguem. Vamos ocupar essas mentes criminosas. Afinal, isso é tão antigo, a minha avó já dizia: “que mente vazia é oficina do diabo”. Trabalho neles. Trabalhou, comeu. Não trabalhou...
Rapidamente, os presídios deixaram de ser um SPA, um hotel 5 estrelas para criminosos, um lugar onde o crime não vai mais se organizar.
População, apoiem a privatização dos presídios. Apoiem a polícia.
Uma boa semana com segurança.

Cláudio Conceição
Inspetor de Polícia
12 DP – Porto Seco.

Seja o primeiro a avaliar!


Adicionar aos favoritos

22 mar 2017


Por Claudio Conceição
Anuncie