Mãe, a outra face do AMOR.


Amor de mãe é um sentimento indecifrável, ninguém é capaz de colocar limites no que essas mulheres são capazes de fazer para proteger seus filhos. Amor de mãe é coisa séria, incomparável, in-superável. Elas se transformam em feras, são imbatíveis na missão de criar seus filhos.
Porém, o amor de mãe também vai a extremos, que muitos de nós desconhecemos. Eu tive a oportunidade de conhecer uma destas mulheres, dona Cleonice. Mulher de muita fibra, de estrutura aparentemente frágil, porém forte e corajosa em virtude. Mãe de um único filho, menor de idade se viu envolvido num crime. Este latrocínio (assalto seguido de morte), não seria tão facilmente resolvido se esta mãe fosse omissa. Mas, ela não foi. Teve de tomar uma decisão nada fácil. Segundo ela, criou seu filho com muita dificuldade, após o marido ter falecido prematuramente. Não teve dúvidas do que tinha de fazer, foi a luta. Trabalhou em dois empregos para dar as melhores condições para que o menino fosse criado com conforto e educação de qualidade. Mas logo, ele se envolveu com más amizades na escola, que o influenciaram para o caminho do erro. Ela foi chamada inúmeras vezes na escola pelo crescente mau comportamento que vinha apresentando. Conversou, aconselhou, chorou, mas o garoto, cada vez mais se perdia e se distanciava daquilo que ela havia tentado ensinar. Logo as drogas cruzaram seu caminho e vieram para ficar na vida do rapaz. Ele trocou a escola pelos pequenos furtos e roubos, que passaram a ser uma das atividades rotineira. Ela o chamou e numa conversa franca disse que não havia colocado um filho no mundo para ser marginal e que preferia morrer, do que ver o seu maior tesouro atrás das grades.
Mas, seu mundo maternal desabou, quando ela encontrou no armário do garoto, uma pistola, escondida entres as suas coisas. Pegou a arma e retirou do local onde o rapaz havia escondido. E no outro dia, ele foi procurar a arma, não encontrou e ficou visivelmente transtornado. Inquieto, porém não fez a pergunta que ela estivesse esperando ser feita. Mas, coração e mãe não se enga-na, palpitava de que alguma coisa terrivelmente errada havia ocorrido. Porém, não demorou muito, logo ela soube que na noite anterior, três jovens haviam feito um assalto e vitimado um jovem com dois tiros. As imagens que foram obtidas pela investigação não eram tão nítidas, mas ao vê-las, pois estava sendo divulgada na TV. Ela teve certeza de que seu filho tinha participado daquele crime.
Ela foi até a delegacia e levou aquela arma, e o teste de balística tinha confirmado que a arma foi a usada naquele crime. Ela mesma fez a denúncia de que seu filho tinha participado do crime e, possivelmente, o autor do assassinato. Com a autorização fomos até a sua casa, e o rapaz estava dormindo e efetuamos a prisão. Aquela mãe fez, certamente a decisão mais difícil de sua vida. Mas, ela disse que só fez, porque de fato, amava demais seu filho, pois naquela mesma hora, do outro lado, tinha também uma mãe que estava chorando pela morte de seu filho. Ela amou tanto o seu filho, ao ponto de não ser omissa e cúmplice de um assassinado. Essa não era uma atitude comum de uma mãe, mas ela fez e o seu filho foi preso. A outra face do amor. 
Reflitamos. Uma boa semana com segurança.

Cláudio Conceição.
Inspetor de Polícia e Vereador de Porto Alegre

Seja o primeiro a avaliar!


Adicionar aos favoritos

25 abr 2017


Por Cláudio Conceição
Anuncie